Pesquisar este blog

quarta-feira, 24 de março de 2010

Mais um post no estilo maternidade investigativa...

Se tem um tipo de lugar que apesar de saber da existência eu nem imaginava como era, não tinha a menor curiosidade em conhecer e, para falar a verdade, sentia um certo desconforto em pensar no aroma que certamente impregnava o ar era com certeza o fraldário.
Fraldário para mim sempre foi sinônimo de lugar fedendo a xixi e coisa pior, criança berrando chorando, mães perdidas entre fraldas, cremes para assaduras e lenços umedecidos.

Bom, isso foi até eu virar uma dessas mães.

A parte do xixi e coisas piores muitas vezes é real (mas depois que a gente é mãe isso fica tão irrelevante...).
A parte das fraldas, cremes e lenços também é real.
Já a parte das crianças/bebês chorando não é regra, mas acontece (depois que a gente é mãe também acha isso irrelevante e compreende que faz parte da vida, ué!).

Mas o que realmente me surpreendeu foi o quanto uma rápida passada num simples fraldário pode ser divertida ou no mínimo instrutiva.
Sim, porque naqueles momentos em que nós, fêmeas com crias, estamos ali todas juntas dividindo o mesmo espaço é natural que estabeleçamos algum tipo de comunicação.
Eu nem sempre fui das mais falantes (com estranhos, veja bem) mas depois que passei a ser uma, digamos assim, assídua freqüentadora de fraldários e afins de repente me descobri uma pessoa muito sociável.

Nunca pensei que trocaria receitas de chás e papinhas com mamães que nunca vi na vida. Nem que conversaria sobre amamentação e daria dicas sobre translactação. Que iriam me falar onde achar um lugar que fizesse legumes cozidos para alimentar a cria num momento de aperto dentro de um shopping. Ou ainda que receberia uma boa indicação de lugar onde vende itens de segurança doméstica para bebês por preços mais acessíveis.  Tampouco imaginei que me chocaria com alguns comentários que ouviria apenas por estar ali no momento (e sem participar) do assunto (sim, o lado ruim também existe, outra hora comento).
Mas no geral a experiência foi sempre positiva e a Alice agora que já interage com outras crianças (e adultos!) já tem feito muitas amizades assim.
Desde que comecei a precisar usar os fraldários, me tornei uma curiosa pelo assunto, admito.
Quando estou em algum lugar onde não conheço o dito, mesmo que não esteja precisando usar vou lá espiar para, sabe como é, ter uma idéia.
Com isso vi que nem tudo (mesmo!) são apenas flores e a realidade é que são poucos os lugares minimamente equipados para dar aquele necessário e providencial apoio para as mamães. E isso, quando o local em questão tem um espaço assim porque a maioria de restaurantes e locais públicos parecem esquecer que existem mães com filhos pequenos.

E depois ainda reclamam quando trocamos uma fralda em público. Pô!

Ainda tenho muitos fraldários para visitar (hehehe) mas por enquanto seguem as minhas impressões sobre os que já vi/usei.

Shopping Iguatemi – Ótimo. Foi o primeiro fraldário que entrei na vida e confesso que acabo usando como base para comparação com os outros. Limpo, grande, arejado e organizado. Tem diversos trocadores (bancadas) com forros higiênicos que as atendentes estão sempre atentas para substituir depois de higienizar tudo com álcool gel. Tem quatro poltronas para amamentação, pia com chuveirinho para limpar estragos maiores, microondas, água filtrada disponível, cadeiras de papá e mesinhas de apoio.
Ali nesse espaço também é possível pegar emprestado carrinhos para circular pelo shopping e utilizar o banheiro familiar.
É disponibilizado fraldas em todos os tamanhos, lenços umedecidos, pomada para assadura e algodão. E as atendentes são na maioria muito simpáticas.

Shopping Total –  Sem comentários. Um dos piores que já vi e infelizmente precisei usar. O fraldário é um cubículo do tipo sobra de espaço, ao lado do banheiro masculino. Na porta já dá para sentir um cheiro de xixi (e não é de bebê, éca). Apertado, abafado, com aspecto de sujo. Tem uma poltrona para amamentação que fica na frente da porta (minúscula) de entrada, ou seja, quem entra no banheiro masculino te enxerga de peito de fora (não que eu me importe com isso, amamento em qualquer lugar e não estou nem aí mas é  uma falta de respeito, né?). Não vi nenhuma atendente para auxiliar ou prestar informações. Vi algumas fraldas fora da embalagem largadas em uma prateleira acima da pia e um tubo de pomada de assaduras aberto e melecado. Sem exagero, não cabem dois adultos lado a lado dentro do lugar. E os locais para troca não tinham nem um forrinho macio, eram duros mesmo. Detestei, achei um tremendo desrespeito um shopping daquele tamanho não se preocupar com essa parcela de público que consome, e muito! A primeira (e última) vez que fui lá (no fraldário) foi em setembro/outubro de 2009, de modo que ele pode ter sido reformado (tomara!).
A alternativa para quem estiver por ali  e precisar trocar seu bebê é o banheiro feminino da parte mais nova. Lá tem um daqueles trocadores acoplados na parede que abre e fecha. Não é a melhor coisa do mundo mas pelo menos quebra o galho num momento de desespero.

Shopping Praia de Belas -  Razoável. Limpo e ventilado, mas não é muito espaçoso. Tem diversos trocadores mas não vi forro higiênico em nenhuma das vezes que fui. Tem microondas, água filtrada e duas poltronas de amamentação coladas uma na outra. Disponibiliza fraldas, lenços umedecidos e pomada para assadura (a atendente pergunta se vamos precisar quando entramos). Cabe ressaltar que nos dias que estive lá a atendente foi muito solícita e simpática.
O shopping também empresta carrinhos, mas eles ficam num quiosque no térreo, bem longe do fraldário.

Shopping Moinhos –  Razoável. Pequeno porém limpo. Quando entramos a atendente também pergunta se vamos precisar de fraldas de algum tamanho, lenços umedecidos ou pomada para assaduras. Tem microondas, água filtrada e uma poltrona para amamentação. Possui apenas uma bancada para as trocas, forrada com papel descartável.. O shopping também empresta carrinhos, ficam perto do fraldário.

Rua da Praia Shopping –  Não tem fraldário ou não encontrei. De qualquer maneira não há indicação ou placa sobre isso.

Centro Comercial João Pessoa –  Idem ao Rua da Praia.

5ª Avenida Center – Idem ao Rua da Praia e João Pessoa.

Barra Shopping Sul –  Ótimo. O fraldário é amplo, ventilado e muito limpo. Possui diversas bancadas/ trocadores, água filtrada, microondas e também disponibiliza fraldas, lenços umedecidos e pomada para assaduras. Tem duas salinhas reservadas e espaçosas para amamentação e alimentação, se eu não me engano com duas poltronas cada uma.
O único porém é que tem um aviso na entrada solicitando que os papais esperem no saguão, com certeza para as mamães se sentirem mais a vontade.
Não sei se concordo com isso porque já vi muito pai trocando fraldas sozinho enquanto a mãe possivelmente estava em alguma loja. Mas por outro lado também já vi muito papai dando uma de papagaio de pirata, ocupando espaço num fraldário cheio de mamães (algumas claramente constrangidas na hora de dar o peito para seus filhotes).
Como eu já disse, eu não tenho nenhum problema com isso (tirar o peito para fora em qualquer lugar e dar para a Alice) mas algumas mulheres gostam de fazer da amamentação um momento mais reservado e não vejo nenhum problema nisso, é uma questão muito pessoal.
Acho que o fraldário do Barra Shopping poderia permitir a entrada dos papais quando estão sozinhos, até porque as salas de amamentação são separadas dos trocadores e bem reservadas.  Alguém sabe me dizer se é assim?
O ponto negativo é que o shopping (ao menos até o ano passado) não emprestava carrinhos e sim alugava. Estive lá semana passada mas levei o carrinho da Alice e nem lembrei de averiguar isso. Alguém poderia confirmar essa informação?


E se por acaso alguma leitora (ou leitor) souber de algum restaurante legal onde tenha um fraldário bacana, que não deixe a gente no aperto na hora da fralda suja não se acanhe, fala aí!!




* Imagem: banco de imagens do Google.

7 comentários:

cegonhas disse...

Hahahhhahaha!!!!!!
Roberta, eu fico impressionada , como somos pareceidas! Bom, dizem que mãe é tudo igual mesmo, só muda o endereço...
Tu esqueceu dos Bourbons Country e Ipiranga: fraldário pequeno, porém limpíssimo, bem decorado, claro e com atendente simpática.
E restaurante até hoje não vi NENHUM com fraldário, quando muito um suporte para trocas no banheiro feminino.

Bjsssssssssss

Beta disse...

Pois é Magali, eu só tinha ido nesses uma vez e não me lembrava muito bem como era...rsrsrs.
Obrigada por complementar!

Carol P disse...

Antes de ter filhos nem sabia que fraldario existia. Adorei seus comentarioa.

Adri disse...

Minha preocupação é outra: como os homens levam seus bebês aos fraldários???

Beta disse...

Adri, eles levam da mesma maneira que nós! Já vi vááaários papais no fraldário, geralmente acompanhando as mães, mas já vi alguns sozinhos dando comidinha, trocando fralda...
Tinha uma propaganda da nossa infância que dizia: "Não basta ser pai, tem que participar", então...é isso aí mesmo, hehehe.

Bjão

Dani Ladeira disse...

Olá...adorei seu post. Mas aqui em Belo Horizonte MG, nunca vi um fraldário como vc falou, nem no pior que vc já foi. Mas ainda não visitei muitos, pois meu bebê tem 50 dias. Mas em um shopping aqui de Bh, Shopping Del Rey, tem apenas uma bancada fria de granito no banheiro feminino..sem nada. Nada de poltrona, fraldas, microondas...NADA DISSO... Vou fazer questão de ir em alguns shoppings só pra ir no fraldário conferir...e aviso vocês. Bjokas

Beta disse...

Oi Dani!
Seja bem vinda!!!
Puxa, que coisa! Fico p***** da vida quando estou num lugar mal preparado para receber mães e bebês. Parece até que não somos uma fatia beeem grande de público, né?
Vou adorar saber tudinho aí de BH.
Bjão